O rapaz e a felicidade

Perto de uma determinada estrada localizava-se uma casinha simples de paredes feitas com varas e barro, com cobertura de palhas de coqueiro e de portas frágeis e singelas. Em seu quintal existia uma plantação com árvores frutíferas; onde os pássaros, com cânticos melódicos, deixavam o amanhecer poético. Apesar de tanta humildade, a casinha era habitada por uma sensação harmônica, como quem é feliz com a felicidade de quem se ama na incondicionalidade.

Fonte de felicidade, era como o rapaz a considerava, ele cuidava de um belo jardim para que a casinha ficasse enfeitada e perfumar. Ao amanhecer, pegava o seu material de trabalho e ia pro roçado(lugar onde plantava sua lavoura), mas antes cuidava do jardim e agradecia a Deus por sua simples moradia em sinal de gratidão.