O rapaz e a felicidade | Origem

Ao amanhecer de um belo dia de primavera, ao cantar de um galo garboso, uma Senhora ouvi um choro de um bebê e logo vai correndo para o local. Chegando lá, constatou que realmente era um bebê que tinha sido deixado na beira da estrada. Ao ver o indefeso naquela situação, a senhora se prontificou em cuidar dele e que ao longo de meses, ficava na frente de sua casa toda manhã a espera dos pais daquele belo bebê para que fosse devolvido, algo que não aconteceu.


O tempo ia passando e quando fez quatro anos de idade, a senhora resolveu matricular o garoto em uma escola localizada em outra comunidade e que todos os dias ela levava ele; numa caminhada que durava uns 30 minutos. Próximo da escola tinha um lago em que de vez em quando a senhora parava para descansar e contar histórias para o garoto, que encantava-se com tanta admiração pela a forma de como era tratado, algo tão belo que fugia de qualquer imaginação.


Aos oito anos de idade, o menino já ia sozinho para a escola, pois a senhora não aguentava a rotina de caminhar por tanto tempo. Em um certo dia, a menina, que na época tinha aproximadamente a mesma idade do menino, pediu para irem juntos para escola. A partir daquele dia; o menino passava na casa dela e iam para a escola.


Um dia, ao voltarem da escola, passaram perto do lago e resolveram ficar um pouco descansando. Depois de um determinado momento, a menina subiu em uma pedra alta e que quando ia descendo, escorregou e caiu, machucando um dos pés. O menino, aos prantos, pede que a menina apoia-se em seu ombro para que voltassem para casa.


Os pais, preocupados, resolveram ir para escola quando no caminho viram o menino trazendo a colega, ele mal conseguia andar, porém não soltava sua colega. Depois do ocorrido, a família da menina foi morar na cidade e só retornando após oito anos.


O agora rapaz, ao completar seus 17 anos, convive com uma dor de perda que assola o coração e arde a alma, falece a pessoa que ele tanto amava. A pessoa que sempre cuidou dele com muito carinho, ensinando e educando para a vida. Foram dias sofridos de choro e tristeza, mas ele daria continuação a tudo aquilo que aquela senhora fazia no seu cotidiano. Ao ir pro trabalho, despedia-se da casinha e agradecia a Deus pela simples e singela moradia.


Foi a partir da continuação deste trabalho, que aproximadamente quatro anos depois, ele conhece a bela jovem. Após a permissão, começam o namoro e tempo depois acabam se casando em uma cerimônia em frente da humilde casinha. Anos depois, recebem uma ótima notícia…Bom! Mais isto é outra história…Desejas que continue? Então comente, deixe-me sua sugestão ou critica construtiva… Até mais

História completa AQUI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É lindo

Ser feliz com a felicidade de que se ama.

Reflexão

Versos fragmentados

Versos reflexivos

Versos

Meu mundo