Rimas

Seja Bem-Vindo!

Perto de uma determinada estrada localizava-se uma casinha simples de paredes feitas com varas e barro, com cobertura de palhas de coqueiro e de portas frágeis e singelas. Em seu quintal existia uma plantação com árvores frutíferas; onde os pássaros, com cânticos melódicos, deixavam o amanhecer poético. Apesar de tanta humildade, a casinha era habitada por uma sensação harmônica, como quem é feliz com a felicidade de quem se ama na incondicionalidade.


Fonte de felicidade, era como o rapaz a considerava, ele cuidava de um belo jardim para que a casinha ficasse enfeitada e perfumar. Ao amanhecer, pegava o seu material de trabalho e ia pro roçado(lugar onde plantava sua lavoura), mas antes cuidava do jardim e agradecia a Deus por sua simples moradia em sinal de gratidão.


O jovem saía de casa todo feliz, e quando ele achava que estava no cume da felicidade; ficava mais feliz como se fosse possível medir a sua intensidade. Porém existia uma explicação: Além da esplendorosa paisagem e do encanto que o caminho despertava em seu coração, também existia uma bela jovem de beleza sublime, que morava um pouco distante da sua casa......

Ler Mais AQUI

Em uma noite de luar, um jovem viu uma estrela muito brilhante no céu, de tão admirado perante tanta beleza, resolveu a chamar de felicidade. Dias depois, repleto de esperança e ansiedade para olhar para a felicidade, percebeu que a mesma tinha sumido. Insistiu e passou a noite toda esperando por ela, mas nada da sua estrela aparecer.


No outro dia, todo esperançoso, voltou a olhar para o céu, mas a felicidade tinha desaparecido. Sentindo-se frustrado, ficou a pensar que muitas vezes atribui-se felicidade a algo incerto, intocável, indominável e com vontades próprias.


Ao ir para escola todo tristonho, ver ao longe, uma moça que caminha devagar e que propositalmente deseja que ele o acompanhe. Após um tempo, de fato, ele consegue acompanhá-la que por sua vez cumprimenta-o e começar a conversar.


Devido aquela amizade conquistada ao longo do caminho, ele já não estava mais triste, pois ela com toda simpatia o contagiou de alegria. A moça, sem perder tempo, deseja o ver outras vezes, e ele muito alegre pergunta o nome dela. A moça responde:- Pode me chamar de FELICIDADE.